São Mateus do Sul, com Emater, lança projeto de hortifruticultura

O Centro da Juventude de São Mateus do Sul recebeu agricultores, empresários e autoridades para oficializar o trabalho com olericultura e frutas. O espaço ficou lotado para apreciar o lançamento do Projeto Hortifruti (HF) no município. São 74 instituições parceiras da iniciativa em todo o Vale do Iguaçu, envolvendo, de início, em torno de 80 produtores sãomateuenses.

 

“Tem famílias triplicando sua renda per capta”, destaca o coordenador do HF na Emater, José Eustáquio Pereira. O engenheiro agrônomo atua no escritório regional e levou sua experiência aos presentes nesta terça-feira (21/05) no Centro da Juventude. A perspectiva é de que de quatro a seis meses as gôndolas de mercados estejam abastecidas com produção local.

 

Os dados oficiais, apontados por estimadas de acordo com Eustáquio, são de R$ 117 milhões ao ano de valores econômicos movimentados no município, somente com frutas e verduras. Esta tratativa vem ganhando força num trabalho regional, com mais de dez anos de fomento. O HF se tornou uma marca com referência para a região Sul do Paraná.

 

A implantação visa 1º planejar a produção. A partir da demanda apontada, a Emater e a secretaria de Agricultura conseguem pontuar o que deve ser produzido para abastecer o mercado local. Numa segunda fase, os empresários são o alvo, 1º para apontar a importância do projeto HF, e depois para estratificar o consumo e o que precisa ser produzido.

 

Todos devidamente cadastrados. Produtores interessados e mercadistas que desejam comprar. O grande detalhe é de facilitar a logística e oferecer produtos mais frescos e com melhor qualidade ao consumidor. Ao passo que, por reduzir o deslocamento deixa o preço mais baixo. O agricultor acaba sendo beneficiado por ter esse trânsito facilitado com o mercadista.

 

Isso porque, numa 3ª fase, o projeto HF envolve uma rodada de negócios. Se expõe o que é possível produzir, colocando à disposição dos empresários, que aproveitam a oportunidade para entender o que é possível produzir e estabelecer vínculo para comprar esta produção. Isso evita o deslocamento até um centro de abastecimento e gera melhor renda ao produtor.

 

“Vem preencher uma lacuna”, salienta o secretário de Agricultura de São Mateus do Sul, Hélio Sakurai. A estrutura organizada tem acompanhamento técnico, desde a muda, e acesso ao crédito até o vínculo com o mercado. “Conseguimos, com apoio da total da Emater, estruturar o projeto”, explica. Sobretudo, dando opção de atividade rentável ao agricultor.

 

“Em seis meses, oitos meses, estaremos produzindo alimentos saudáveis para toda a população de São Mateus do Sul”, prevê o secretário. Segundo ele, 90% da oferta de hortifruti é comprada fora do município. “Já não é um alimento tão fresco”, acrescenta. E sustenta a redução de preço, por não ter agregado ao produto o valor do frete.

 

Interessados em vender tem até o final do mês para fazer a inscrição na secretaria de Agricultura. Está previsto, para o dia 11 junho, o balcão de negócios. De um lado o produtor expõe o que produz e de outro o empresário aponta o que precisa para atender o cliente final. Desta relação se constitui a parceria comercial, garantido renda no campo e produto fresco no mercado.

 

A fórmula tem se mostrado eficiente em toda a região da Associação dos Municípios do Sul Paranaense (Amsulpar). De 2017 para cá a proposta tem sido debatida regionalmente e criado a janela de mercado. Opção de venda para aos agricultores e os mercadistas a observância do parceiro comercial mais próximo. Onde está presente leva consigo a marca HF.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *